VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

Administração de medicamentos

A via de administração para uma determinada medicação deve estar de acordo com as propriedades do fármaco – hidrossolubilidade e capacidade de ionização e a sua função terapêutica; o pH do tecido que o fármaco será absorvido, quanto mais ácido menor o grau de absorção do fármaco. Existem duas vias básicas de administração: enteral e parenteral. A primeira inclui as vias oral, sublingual e retal. A última possui as vias intravascular, intramuscular e subcutânea.

Na via oral, a maioria dos fármacos é absorvida pelo trato gastrointestinal (principalmente pelo intestino delgado), entram na circulação portal e fígado, antes de serem distribuídos para o organismo. Como limitação dessa via, a biotransformação de primeira passagem (ou seja, absorção pelo intestino) reduz a eficácia de vários medicamentos e o suco gástrico do estômago destrói a capacidade de absorção. Apresenta como vantagem ser o método mais seguro, conveniente e econômico. Porém, como necessita do consentimento, cooperação e adesão do paciente não pode ser utilizada em indivíduos inconscientes.

A via intramuscular, os fármacos podem ser à base de soluções aquosas (absorção rápida) ou preparações a base de depósito (absorção lenta). O medicamento se dissolve lentamente, sendo sustentada a dose por um período de tempo maior (curto a médio prazo), garantindo assim um efeito prolongado. A absorção é modulada por meio do fluxo sanguíneo e modulada através de agentes externos (massagem local e compressas de água quente). Essa via mostra-se mais segura em relação à intravenosa e possui ação mais rápida que a via oral. Contudo, pode causar dor, desconforto e hematoma.

A via intravenosa é a via parenteral mais comum. Apresenta como vantagem não sofrer a biotransformação de primeira passagem pelo fígado, uma vez que o fármaco não é absorvido pelo trato gastrointestinal. Assim, o efeito é mais rápido e maior controle sobre a quantidade do fármaco na circulação. Como desvantagem a via pode contaminar o indivíduo através da introdução de bactérias no local da injeção, provocar hemólise ou produzir reações adversas por liberar para o plasma e tecidos concentrações elevadas do medicamento.

A via subcutânea possui a absorção mais lenta que a via intravenosa e reduz os riscos apresentados pela última. Podem ser utilizados medicamentos (principalmente com base proteica) na forma de sólidos e bombas mecânicas programáveis, como a insulina. Seu efeito mostra-se lento e fraco, porém constante. A absorção é lenta devido a limitação pelo fluxo sanguíneo. É vantajosa devido a auto-medicação, no caso de diabetes mellitus em uso de insulina.

A via intraperitoneal, não é muito utilizada devido à dificuldade de aplicação do fármaco. È vantajosa no processo de rápida absorção através da veia porta devido à vascularização peritoneal. Por essa característica, sua ação não é prolongada e nem rápida. Como desvantagem, pode ocasionar peritonite e dor intensa. Utilizada em pacientes com insuficiência renal que necessitam de diálise.

Dessa forma, o médico deve analisar e comparar as vantagens, desvantagens, dificuldades e risco de cada via de administração por meio do conhecimento das propriedades físico-químicas, já que pequenas diferenças estruturais resultam em efeitos clínicos diferentes.  A escolha da via mostra-se de fundamental importância na vida médica para salvar vidas de forma eficiente e de maneira a reduzir o máximo a dor e o sofrimento do paciente.

Dúvidas serão respondidas apenas em nosso FORUM, entre e faça sua pergunta.

 

1 Comentário para “VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS”

  1. zelia maria disse:

    ola eu quero saber com clareza quais sa desvantagens e vantagens do farmaco para pesquiza escolar

Deixe seu Comentário

Faça seu login para comentar clique aqui.