PEDRA NA VESÍCULA – COLELITÍASE | Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

Colelitíase

Colelitíase é a presença de cálculo (pedra) no interior da vesícula biliar. A vesícula biliar tem o formato de pêra, com tamanho aproximado de 10 cm. Está localizada perto do fígado e tem como função o armazenamento da bile. A bile é prozuzida pelo fígado e é levada até a vesícula biliar para ser armazenada e eliminada na presença do alimento, principalmente rico em gorduras.

 

 

A contração da vesícula biliar ocorre quando temos a presença de alimentos no intestino sendo a bile assim despejada e misturada no duodeno (parte inicial do intestino delgado) com o alimento que veio do estômago.

 

 

 

Algumas perguntas que serão respondidas neste texto:

  • O que é Colelitíase?
  • Quais são os tipos de cálculos biliares?
  • Quais o sintomas da Colelitíase?
  • Como ocorre o cálculo na vesícula?
  • Qual o exame fazer na suspeita de cálculo na vesícula?
  • Qual o tratamento da Colelitíase?

Para iniciarmos este texto devemos conhecer a árvore biliar (locais onde a bile transita). Como já dito, a bile é produzida no fígado e é jogada em pequenos canalículos (via biliar intra-hepática), em seguida cai na via biliar extra-hepática e em seguida para a vesícula biliar.

Árvore biliar = vesícula biliar, ducto cístico, ducto hepático direito e esquerdo, ducto hepático comum e colédoco

Via Biliar extra-hepática = ducto hepático direito e esquerdo, ducto hepático comum e colédoco

O ducto hepático comum é formado pela confluência do ducto hepático direito e esquerdo que se encontra com ducto cístico formando o colédoco que desemboca na parede duodenal. Na junção do colédoco com o ducto pancreático forma-se a ampola de Vater.

Tipos de cálculos biliares:

Existem 3 tipos de cálculos (de colesterol, bilirrubinato de cálcio e marrom), sendo que 2 deles são formados no interior da vesícula biliar, são eles:

Cálculo de Colesterol: é a composição da maioria dos cálculos, sendo que normalmente não é puramente de colestrol, tendo o cálcio como outro componente. Tem como fator de risco: mulheres, obesidade, multíparas (mulheres que tiveram muitos filhos), história na família, hipertrigliceridemia (aumento do triglicerídeos no sangue), gestantes, etc.

Cálculo de Bilirrubinato de Cálcio (calculo preto): é o 2º cálculo mais comum, sendo mais comum em doentes que tem destruição das hemáceas (hemólise crônica) como: anemia falciforme, esferocitose entre outras.

O cálculo de pigmento marrom ou castanho equivale a 5% dos cálculos e não é formado na vesícula biliar, sendo normalmente formado no colédoco que possui deformidades (estreitamento, obstrução…).

Como ocorre o cálculo na vesícula biliar?

Normalmente a capacidade da vesícula biliar é de somente 40- 50 ml, sendo que são produzidos diariamente 600 ml de bile. A vesícula biliar só consegue armazenar essa quantidade de bile devido a sua capacidade de absorção, ela absorve água e eletrólitos concentrando a bile entre 5 a 10x. Essa concentração pode afetar a solubilidade de dois importantes componentes dos cálculos biliares: colesterol e cálcio. O cálculo ocorre devido o aumento da concentração de colesterol e cálcio.

SINTOMAS:

A maioria dos pacientes com cálculos biliares não manifestará qualquer sintoma durante a vida. A taxa de aparecimento de sintomas é de apenas 1% ao ano nos doentes assintomáticos.

Porém quando se tem sintoma ele se manifestará através da cólica biliar, que se dá quando o cálculo fica preso na saída da vesícula biliar (infundíbulo ou no ducto cístico) transitoriamente (4-6h). Quando o cálculo fica impactado por mais de 4-6h teremos um outro quadro chamado de colecistite.

A cólica biliar é uma dor aguda e contínua, caracteristicamente localizada na topografia de vesícula biliar ou acima do umbigo, podendo apresentar irradiação para a escápula direita. Muitas vezes a dor ocorre após refeição com alimentos gordurosos, refeição que se segue a jejum prolongado ou mesmo após uma refeição habitual.

O motivo da dor é sempre a obstrução da luz da vesícula por um cálculo. Uma associação com a alimentação ocorre em somente 50% dos casos. No restante dos pacientes, a dor não é relacionada com a alimentação e  tem inicio no período noturno, acordando o paciente de seu sono. A duração da dor é tipicamente de 1-5h.As crises raramente persistem por mais de 24hs ou por menos de 1 hora. Se persistir por mais de 24h deve-se pensar em inflamação aguda ou colecistite.

 

Os episódios de cólica biliar se repetem em intervalos de dias ou meses, sendo normalmente menos freqüentes do que 1 crise por semana. Outros sintomas como náuseas e vômitos comumente acompanham cada episódio (60-70% dos casos).

DIAGNÓSTICO:

O primeiro exame a ser solicitado na suspeita de Colelitíase é a Ultrassonografia. Além de visualizar os sistemas biliares intra e extra-hepáticos (revelando dilatações), ainda permite a observação do fígado e do pâncreas.

 

 

 

TRATAMENTO:

Quando o paciente não possui sintomas do cálculo biliar, a cirurgia (colecistectomia) não está indicada, exceto quando: o cálculo é maior que 3 cm, está associado a pólipos, vesícula em porcelana, anomalia congênita da vesícula, microesferocitose.

Já nos pacientes que apresentam sintomas (cólica biliar) deverá ser realizada a remoção cirúrgica da vesícula (colecistectomia).

FOTOS DE COLELITÍASE:

Separamos algumas fotos de Colelitíase para melhor compreensão da doença. Veja: FOTOS DE COLELITÍASE – PEDRA NA VESÍCULA BILIAR

 

Autor(a): 

Médico formado pela Faculdade de Medicina de Valença - FAA.
Cirurgião Dentista formado pela FOV.

  • googleplus
  • facebook
Dúvidas serão respondidas apenas em nosso FORUM, entre e faça sua pergunta.

 

10 Comentários para “PEDRA NA VESÍCULA – COLELITÍASE | Sintomas, Diagnóstico e Tratamento”

  1. PRISCILA disse:

    Olá gostaria de saber fiz uma ecografia abdominal total e aoareceu pedra na visicula sendo que a maior tem 3 cm,tenho que operar,mas será que é a laser ou cirugia com corte.Estou com medo

  2. Elisabete disse:

    estou com pedra na visicula de 17 mm é alto, baixo pode me explicar

  3. Elisabete disse:

    Segundo ultrasom estou com pedra visicula e ela esta com 17 mm , venho sentido colicas queria saber se esse numero é alto, baixo e necessita mesmo de cirurgia?

  4. thelma disse:

    só tive crise uma vez,nesse caso é necessário cirurgia ou posso fazer receitas caseiras para ver se elas se acabam ou são eliminadas pelo intestino.

  5. valeria disse:

    Boa tarde ,fiz o ultrasom ,tenho um cálculo de 1,5 cm ,
    É necessário cirúrgia?

  6. Marcos Augusto disse:

    Recentemente fui diagnosticado com colelitíase e tenho que fazer cirurgia, ainda tenho muitas dúvidas à respeito e uma delas da relação que recebi dizendo o que eu podia consumir estava refrigerante, só que pesquisando na internet sobre essa doença dizia que é bom evitar. Outra dúvida que tenho é que nessa mesma relação em alimentos que não posso consumir está o leite (nem mesmo o desnatado), manteiga, iogurte; e agora? Hoje só estou comendo comidas grelhadas, como faço para comer alimentos cozidos e assados?

  7. Soraya disse:

    Acabei de ter uma crise terrível de dor por causa dos cálculos na vesícula, preciso fazer a cirurgia o quanto antes, pois frequentemente tenho crises. É uma dor terrível, a ponto de não conseguir andar, nem mesmo ficar em pé normalmente…

  8. ana disse:

    e engraçado
    . eu fiz um exame ultrasonografia deu todos resultados foram bom, mais o de visicula deu
    ;Vesicula biliar fisiologicamente distendida, de forma e volume normais, paredes finas, com múltiplos pequenos calculos em seu interior(colelitiase).
    este e o resultado.
    O medico disse que tenho que tirar a visicula fora rapido.
    .engraçado que nem eu sabia que tinha isto pois como de tudo e nao sinto nada
    . o resto dos exames deu tudo certo.
    e engrapçado se eu nao fazo este exame. como iria ser eu morreria. com certeza ne.?
    pois se tenho que tirar a visicula.
    outra coisa estranha que acho que
    . se o corpo humano foi criado com pe e mao com cinco dedo
    todos eles tem suas funcoes,
    entao se existe visicula tem suas funçoes.
    porque tirar visicula.?
    na verdade nao consigo entender alquem tentar me explicar que nao faz falta. se nao fizese falta ela nao estaria ali.
    concorda comigo gente?
    ai pergunto ao Doutor ai.

    sera necessario tirar minha visicula com este resultado ai.?
    e possivel uma resposta.?

    • Ana disse:

      Ana, coloquemos as coisas desta forma: realmente todos os órgãos do corpo humano têm a sua função. A questão é que um órgão doente já não desempenha a sua função. Então, no caso da vesícula biliar com pedra, o que temos é uma bomba relógio dentro do nosso corpo! Podemos perfeitamente viver uma vida plena sem vesícula biliar, no entanto, se viver com ela cheia de pedra pode desenvolver uma série de complicações, nomeadamente, pancreatite e as suas chances de sobreviver são 1 em 5! Quer arriscar?

  9. daniela disse:

    um assunto que deveria ser mais divulgado na midia

Deixe seu Comentário