ETILISMO – ABSTINÊNCIA ALCOÓLICA – DELIRIUM TREMENS

Alcoolismo

O excesso de álcool é uma dependência química e está relacionada com a sensação de prazer desencadeada pela maior produção de dopamina. É uma condição clínica caracterizada por disfunção física, psíquica e/ou sociais associada ao uso exagerado e persistente de álcool (etanol). Dentro do alcoolismo existe a dependência, a abstinência, o abuso (uso excessivo, porém não continuado), intoxicação por álcool (embriaguez). Estudos demonstram que alcoolismo está relacionado à predisposição genética e mulheres são mais sensíveis ao alcoolismo do que os homens.

 

Sinais e Sintomas:

Dependem da forma clínica. Pode apresentar: náuseas, vômitos, anorexia, diarréia, dor abdominal, flatulência, perda de peso, dor muscular, fraqueza muscular, cãibras, tremor, perda de equilíbrios, dificuldade na marcha, dormências, tonturas, confusão, dor de cabeça, distúrbio do sono, perda da libido, problemas no desempenho sexual, ansiedade, depressão e hipertensão arterial.

Síndrome de Abstinência Alcoólica:

Inicia algumas horas ou até 2 dias após a interrupção ou diminuição da ingestão de álcool. Principais sintomas: tremores, náusea e vômitos, fraqueza, taquicardia e sudorese, aumento da pressão arterial, ansiedade, humor depressivo, irritabilidade, alucinações transitórias, ilusões, cefaléia e insônia. Costuma regredir espontaneamente em 5 a 7 dias, mas pode evoluir para óbito.

Delirium Tremens:

Forma grave de abstinência do álcool caracterizada pela presença de delírio, tremor e hiperatividade autonômica. Alucinações visuais, auditivas e táteis são frequentes. É uma urgência médica e 5 a 15% dos pacientes morrem quando não tratados adequadamente.

Tratamento:

Não existe um único tratamento que seja eficaz para todos os alcoolistas. O tratamento deve ser voluntário. Tratamento involuntário somente quando o paciente corre risco de vida ou se encontra incapaz de controlar seus próprios atos. Os familiares devem participar ativamente do tratamento e estar envolvidos. Internação, em alguns casos, no inicio do tratamento, para promover a abstinência e tratar complicações. Para evitar recaídas é preciso que o paciente participe de grupos de apoio (Alcoólicos Anônimos).

Autor(a): 

Médico formado pela Faculdade de Medicina de Valença-RJ.

Dúvidas serão respondidas apenas em nosso FORUM, entre e faça sua pergunta.

 

Deixe seu Comentário

You must be logged in to post a comment.